Dengaz – Cura


Cura Lyrics

Letra de “Cura”

Verso 1
Yeah
Enquanto eu gravo, será que ela ‘tá bem?
Enquanto ela tapa os putos é quando a dica sai
P’a evitar que o nosso império caia
Enquanto pensa-se no natal, ela ainda vai ter pai
Lembrou-me o médico a chamar o meu velho p’a dizer:
“Há poucas chances, nada é certo mas o melhor é saber
Vai ter que ser forte, agora é a hora
Não é fácil mas despeça-se da sua mulher, ela vai desaparecer”
E eu lembro-me de a minha mãe dizer ao meu cota
Que “a partir de agora já vais ser só tu e o teu filho
Muito obrigado por tudo aquilo que tu já fizeste
Agora descansa, trata-o bem
Nunca me esqueçam e vão ser felizes”
É fodido, não ‘tou a ver um filme
Mas ‘tou a ver uma mulher das mais belas que eu vi
Como é que ‘tás a viver com um fraco, que já te agarra pelo braço
E dorme armado porque sabe que tu só és dele assim?

Refrão
Eu até curto a chuva no inverno

Verso 2
Mas ‘tavam 40 graus ali no morro quando, o meu bro ligou
Só p’ra dizer que eu era como um irmão p’ra ele
Só não entendi se aquilo no fim daquele voice era choro
Damn bro, tu ‘tavas mal e eu nem ‘tava lá
O meu irmão casou e eu nem ‘tava lá
A minha filha andou pela primeira vez, não ‘tava lá
Não ‘tás a ver o que é que o rap tira
‘Tás cego com o que o rap dá
Lembrei-me dos meus brothas fechados
E espero que nunca mais tenham que falar com o Diabo
E que o Diabo ao menos faça como Deus
E se esqueça deles agora como Deus fez c’o filho do Tiago
Espero que não se esqueça do filho do Zaok
E que nenhum pai tenha que ser assim ‘tão forte

Refrão
Isto p’ra mim não é rap, isto é uma cura
Isto p’ra mim não é rap, isto é uma cura

Verso 2
Quanto a ti, meu cota
Eu vou-me lembrar de ti a nadar no rio
A guiar o taxi, e a tratar da terra
No último beijo que eu te dei na testa
E eu lembrei-me que eras o cota mais fodido lá no café a matar na Sueca
E o teu Sporting ‘tá melhor agora
De resto ‘tá tudo igual, acho que nada mudou
Só foste embora depois de eu conseguir dizer tudo
Mas esqueci-me, é só p’ra te avisar que o Benfica ganhou

Outro
Eu até curto a chuva no inverno
Mas ‘tá-me a fazer pensar no que eu não quero
Eu até curto a chuva no inverno
Mas ‘tá-me a fazer pensar no que eu não quero
Eu até curto a chuva no inverno
(‘tá-me a fazer pensar em quem não espero)
Mas ‘tá-me a fazer pensar no que eu não quero
(Já não sou igual àquilo que eu era)
Eu até curto a chuva no inverno
(‘tá-me a fazer pensar em quem não espero)

Mas ‘tá aqui uma nuvem do inferno

Dengaz

%d blogueiros gostam disto: