Juliette Freire – Bença

Bença – Juliette Freire Letra:
Quem perguntar por mim
Diga que tô por aí
Quem perguntar por mim
Diga que tô por aqui

Agora, se foi fácil, foi não
Rapadura é doce mas não é mole, não
Na estrada a gente pena, a gente sofre
Mas a gente ama

Não me arrependo de nada, não
Porque foi tudo de coração
Na vida a gente colhe o que planta

Quem perguntar por mim
Diga que tô por aí
Quem perguntar por mim
Diga que tô por aqui

v

Mas é que eu venho lá do sertão
O coco é seco demais, irmão
E o preconceito еu só engulo com farinha

Não tenho medo dе escuridão
Eu sou fogueira de São João
Trago no peito a oração de maínha
Bença?

Agora, se foi fácil, foi não
Rapadura é doce mas não é mole, não
E o preconceito eu só engulo com farinha

Não tenho medo de escuridão
Eu sou fogueira de São João
Trago no peito a oração de maínha

Quem perguntar por mim
Diga que tô por aí
Quem perguntar por mim
Diga que tô por aqui

%d blogueiros gostam disto: