Letra Fábio de Oliveira – Sonho de Lavrador

Sonho de Lavrador – Fábio de Oliveira Letra

Arando a terra, gritando com os bois
Na roça nova, desviando dos tocos
Costeando o mato na beira de um rio

No coice do arado, sou meio louco
Meus bois de canga valem mais de mil
Junta de perfil que na força se agranda
Calando arado na verga do eito
Faz ranger no peito, canzilha canga

Lavra, lavra, lavrador
Lavra o teu próprio suor
Lavra a alma da saudade
Lavrando sonhos de amor

Lavra, lavra, lavrador
Lavra o teu próprio suor
Lavra a alma da saudade
Lavrando sonhos de amor

Das leivas brutas que vão virando
A despacito o arado vai cortando
O cambão ringe emanando a junta
Com bois de fé, sigo trabalhando

Lembro da China que partiu
Foi pra vila da Cidade
E na solidão do campo
Vou rimando este meu canto
Nesta verga da saudade

Lavra, lavra, lavrador
Lavra o teu próprio suor
Lavra a alma da saudade
Lavrando sonhos de amor

Lavra, lavra, lavrador
Lavra o teu próprio suor
Lavra a alma da saudade
Lavrando sonhos de amor

Letras “Fábio de Oliveira – Sonho de Lavrador” Official Lyrics
Lyrics, Letras, Paroles, Deutsche, Letras, Testi,Тексты, Texty, Norske, Текстови, Versuri, Persian, Liricí, Lirik, Nederlandse, Tagalog

%d blogueiros gostam disto: