Phantom MOB – Vivências

Vivências – Phantom MOB Letra:
Intro
É Mob Fantasma, baby

Refrão
Baby, ainda sou o mesmo
Por que nosso povo sempre é recebido com balas no peito?
Durante 500 anos não aguentamos mais viver com medo
Tem que saber separar quem é falso e quem é verdadeiro
Isso é um faroeste, ganha o jogo quem atira primeiro
Nego, eu não posso errar porque todos meus manos são pretos
Aqui é o nosso lar, racistas não passam no meu gueto
Não preciso passar dias e noites fugindo da peto
As vivências nesse lugar me ensinaram a ser um preto esperto

Verso 1
Nego, eu passei minha vida fugindo da mira dos ferros
Brancos postam foto no Insta achando que isso é protesto
Orgulho negro é o que eu vou deixar de herança pro meu neto
Matam nossa raça, então não terão um preto sincero

Verso 2
Eu já sei que vocês não me querem vivo
Querem me ver no chão ou dentro de um presídio
Vocês vão ter que aceitar um novo preto rico
Conversando com essa grana igual Dr. Dolittle
Wow, wow, wow, wow, vocês vão ter que me ver no palco
Sei que vocês não gostam da minha cor, enterro um racista como LeBron
Acerto um racista atirando como Jango, você sabe que eu nunca erro o alvo
Eu sei que esses cops me procuram nessas ruas, jovem preto nunca vai tá são e salvo, wow, wow
Querem meu povo pacífico, quando que foram pacíficos?
Desde sempre todos meus irmãos ainda estão vivendo no risco
Quantos sonhos nascem e morrem aqui? Quantos pretos querem ficar rico?
Por isso eu mostro a eles que é possível, é só observar eu e meus amigos
Sinceramente tá foda, ‘cês acham que foi só Froid
Todo dia algum preto no mundo vive com medo da sua morte
‘Cê não sabe o que é isso, ‘cê nunca passou por isso
Então nem vem me dar lição, foda-se sua opinião
Refrão
Baby, ainda sou o mesmo
Por que nosso povo sempre é recebido com balas no peito?
Durante 500 anos não aguentamos mais viver com medo
Tem que saber separar quem é falso e quem é verdadeiro
Isso é um faroeste, ganha o jogo quem atira primeiro
Nego, eu não posso errar porque todos meus manos são pretos
Aqui é o nosso lar, racistas não passam no meu gueto
Não preciso passar dias e noites fugindo da peto
As vivências nesse lugar me ensinaram a ser um preto esperto
Letra lyrics lyric letras versuri musiek lirieke tekstet paroles

%d blogueiros gostam disto: