SÉKETXE – BULOCO

BULOCO – SÉKETXE Lyrics Letra:
MURTALHA

ESTENDES A MÃO PRA O TEU CIRÍBA
SEM MEDO DE PERDER O DEDO
NO RELENTO E FORTES CHUVAS
MAS DEUS PROTEGEU NOSSO TETO
É NA VERDADE DESSES BECOS
DESSAS MAIKAS A FUGIR OS BONECOS
TU TENS A MINHA PILHA MEU TROPA E SEMPRE SÊRA ASSIM MEU TROPA
UNS TROPAS SÓ ESTÃO NA MEMÓRIA
OUTROS ESTÃO PRA SEMPRE NO PEITO E JUNTOS SÓ CONTAMOS UMA HISTÓRIA
E NO MEIO DE TODOS SUGA TU SEMPRE DESTE A PILHA MEU TROPA
AQUI SORRIMOS E CHORAMOS MAIS É SEMPRE DO LADO DA TROPA

CORO

MEU PILHA NÚM SUGA MINHA TROPA (ULEEEE, ULEEEEE,ULEEEE)
MEU PILHA NÚM SUGA MINHA TROPA (ULEEEE, ULEEEEE,ULEEEE)
MO PILHA NÚ SUGA MINHA TROPA (ULEEEE, ULEEEEE,ULEEEE)
MO PILHA NÚ SUGA MINHA TROPA(ULEEEE, ULEEEEE,ULEEEE)

DJAMBA

O que é que valeu a tua corrida se antes do fim voçe se cansou
Nós chamamos isso birita quer colher o que não semeou
Só Deus uniu 6 almas numa disseram que a tropa se lavou
Isso é trabalho e fé junto a corda da forca a tropa cortou

MURTALHA
Eles não apagam a luz da gloria nós oramos e o senhor abençoou.

DJAMBA
Hoje quer tá contigo encima nem sabe como isso começou

KOKAÍNA PRETA

Onde há Luz não há escuridão então
Não põe a Culpa No Vagão
Presta atenção
Eu tou contigo até a hora da morte um culê pra prisão e outro pra o caixão
Qual é a razão? Viver em vão?
Qual é a Diferença entre Viver e Morrer, é Pura Realidade ou é Mera ilusão?
Só Quê a Realidade nunca Foi Ilusão
Mais a Ilusão É uma Realidade
Do Babulo Aqui
Confundição? É confundir Humildade com Burrice Mas Aqui Na Nguimbi insistem Em Contrariar
E O Pobre come Megalhas do Rico Não Lhe Recompensam mesmo a Trabalhar
Eu também Não Sei
São Tantas Vezes Que Eu Disse essa Frase, Que Ja houve Fases de Mim duvidei
Eu sou imperfeito, cometo erros, mas errando tanto eu muito conquistei
Muito Aprendi, hoje sou tão Eu
Que Tenho coragem de Dizer A Mim Mesmo Me Arrependo dos erros que cometi
E Quando eu Morrer Na Carne meu espírito vai Estar sempre junto A Ti Wy
Quantos Pilhas ficaram no Caminho
É Triste a Dor de Caminharmos Juntos mais la no Buraco Vamos Entrar Sozinhos
Mas não Tem Nada Nu Xtragó (Nu Xtragó)
Lá estava escuro De onde eu Venho (De onde eu venho)
Então Jeová Me Iluminou
Mamoite Hipertensa, filho nas Catanas, Ultimas Tropa Que O Savimbi Deixou
Djamba De Djamba, Murtalha, Layfadão, Banzelo Banzelão, Mó Pilha Rasgadão, me Encontra No Stelão Com Todo Meu Bolão Faruda Scarradão
Homem Faz Magia Wy Deus Faz Milagres
Aqui pra muitos o sol já não Brilha, Estão Mortos em Vida E Para Voltar A Viver Precisamos Morrer
Então…
Nós Vivemos como Fênix Pra Ressuscitar Nesses Cantos De Glórias

MURTALHA
Governo Nunca vai ser Justo contigo

BANZELO
Polícias dividem -se entre heróis e bandidos

LAYFADO
Tragédia! É Normal se acostumarmos a isso?

RASGADO
Como Isso É Possível ? É Real Não fictício

DJAMBA
Invejoso Difama diz Temos Feitiço

KOKAÍNA PRETA
Estão a se perguntar como temos feito Isso Porra

SÉKETXE – BULOCO

%d blogueiros gostam disto: